Realizador audiovisual e documentarista, atualmente desenvolve seus trabalhos na cidade do Rio de Janeiro (BRASIL).

 

Bacharel em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), trabalhou como editor e cinegrafista na produtora Filmes para Bailar, onde participou da edição do longa metragem de ficção Delírios de um Cinemaníaco e do documentário Histórias de um Juruá.

 

Já como realizador independente, dirigiu e editou dois longas-metragem: Ano-Luz (2015), Leila (2016) e Feijão (2018) além de diversos curtas.

Em 2014 e 2015 morou em Montréal (Canadá) onde dirigiu dois episódios para um programa da televisão local MATV.

 

Co-fundador do projeto de intervenção urbana Ocupe Carrinho, realizou intervenções nas cidades de São Paulo, Brasília, Manaus e Buenos Aires.

 

Além de realizador audiovisual, atua como fotografo e ministra oficinas que tem como enfoque a relação entre a linguagem audiovisual e a educação.

Felipe Carrelli